Falta de políticas públicas ampliaram a fome no Brasil (antes mesmo da pandemia)

Falta de políticas públicas ampliaram a fome no Brasil (antes mesmo da pandemia)

Falta de políticas públicas ampliaram a fome no Brasil (antes mesmo da pandemia)

👀 Organismos internacionais definem a “insegurança alimentar grave”, ou seja, a fome, quando uma pessoa passa mais de 24h sem ter o que comer.

😤 A estimativa é que 19,3 milhões de brasileiros tenham passado por essa situação em 2021, uma consequência direta do caos instaurado no país com a chegada de Jair Bolsonaro à Presidência.

😥 O aumento da fome após a eleição de Bolsonaro foi brutal: entre 2014 e 2016, eram 3,9 milhões de brasileiros em situação de insegurança alimentar grave, número que aumentou para 7,5 milhões entre 2018 e 2020 (ou seja, antes mesmo da pandemia de Covid-19) e agora mais do que dobrou.

🤔 Também há 116,8 milhões de brasileiros sob “insegurança alimentar”, estágio não tão agudo quanto a fome, mas em que ainda não há garantia de condições plenas de alimentação.

💲 Evidentemente, a pandemia agravou o cenário, mas a gestão desastrosa de Jair Bolsonaro na condução da crise sanitária foi determinante para o desastre, afinal, governos que tomaram medidas mais energéticas para combater o vírus conseguiram retomar suas economias muito antes do que o Brasil.

A fome também é resultado das políticas econômicas de Bolsonaro e do esvaziamento de programas voltados à agricultura familiar e ao combate à fome, além de defasagem nos valores do Bolsa Família e do salário-mínimo.

A fome será o principal legado de um governo para quem a vida não é essencial.

#EssenciaÉAVida