Desigualdade social prejudicou proteção social na pandemia

Desigualdade social prejudicou proteção social na pandemia

Desigualdade social prejudicou proteção social na pandemia

💲 Durante a pandemia de Covid-19, o Governo Federal foi derrotado pelo Congresso e teve que pagar o auxílio emergencial. A proposta governista era zero de auxílio.

😷 Os investimentos não foram suficientes para evitar o crescimento da fome, que atinge 19 milhões de brasileiros. Cenas de pessoas procurando restos de comida em lixões ou fazendo fila em açougues para ganhar restos de ossos correram o planeta e aumentaram o vexame do Brasil aos olhos do mundo.

💰 Isso acontece pela extrema desigualdade do país, que foi agravada desde a chegada de Jair Bolsonaro à presidência. Vale lembrar que o Brasil já havia batido recordes de desemprego antes da chegada da pandemia de Covid-19.

👎 Com base em dados de 2018, o Brasil já estava entre os dez países mais desiguais do mundo, sendo o segundo colocado quando se trata de concentração de renda entre os 1% mais ricos. Durante a pandemia, esses 1% ficaram aumentaram sua concentração: eles detinham 46,9% das riquezas e passaram a ficar com 49,6%. No mundo todo os bilionários ficaram US$ 5 trilhões mais ricos em meio à pandemia de Covid-19.

😤 De um lado, o presidente cortou políticas sociais; do outro lado, ele promoveu políticas econômicas voltadas só para agradar aos grandes empresários. Quem sofre são as pessoas que estão nas camadas mais pobres da sociedade. Só os ricos se dão bem no governo Bolsonaro.

#EssencialÉAVida